I Simpósio Internacional de Imunobiológicos

O I Seminário Anual Científico e Tecnológico de Bio-Manguinhos foi planejado para ser um hub para cientistas, empreendedores e empresas de biotecnologia para acelerar o desenvolvimento de soluções inovadoras para a saúde da população.

Anais do I Simpósio Internacional de Imunobiológicos

Faça o download dos anais desta edição do evento.

Confira os destaques do evento I Simpósio Internacional de Imunobiológicos

I Simpósio Internacional de Imunobiológicos e Saúde Humana celebra 30 amos de Bio-Manguinhos

Bio-Manguinhos celebra 30 anos e realiza o I Simpósio Internacional de Imunobiológicos e Saúde Humana. Na ocasião, é assinada a portaria que institui o Programa Nacional de Competitividade em Vacinas (Inovacina). O programa é uma iniciativa do setor industrial brasileiro para alcançar a autossuficiência em imunobiológicos do calendário anual de vacinação. Isso inclui vacinas de tuberculose, febre amarela, hepatite b, influenza, sarampo, rubéola, poliomielite, febre tifoide, rotavírus e outros imunobiológicos estratégicos.

Um pronunciamento do Ministro da Saúde, José Agenor Álvares da Silva, e a assinatura da portaria que instituiu o Projeto INOVACINA abriram o evento comemorativo dos 30 anos de Bio-Manguinhos: o I Simpósio Internacional de Imunobiológicos e Saúde Humana, realizado entre 02 e 04 de maio, em Copacabana, Rio. Durante três dias, renomados especialistas em pesquisa e produção de imunobiológicos debateram temas atuais e importantes para a saúde humana. Após as conferências de abertura do Presidente da Fiocruz, Paulo Buss, e do Diretor de Bio-Manguinhos, Akira Homma, respectivamente, os Debates abordaram o desenvolvimento de vacinas contra HIV, HPV e Malária, além do papel dos Produtores nacionais nos países em desenvolvimento.

O Segundo dia começou com o tema Vacinologia? Passado, presente e futuro, apresentado pelo Dr Ciro de Quadros, Presidente do Instituto de Vacinas Albert Sabin (EUA), e o debate girou em torno de vacinas contra pneumococos e seu impacto no país. À Tarde, o foco se desviou para influenza, gripe aviária e a preparação para possíveis pandemias e suas consequências.

Exatos 30 anos após a criação do Instituto, no dia 4 de maio, as mesas redondas promoveram o debate em torno dos avanços tecnológicos em reativos para diagnóstico e biofármacos. E ao tornar-se o primeiro produtor nacional destes medicamentos de base biotecnológica e alto valor agregado, com a incorporação das tecnologias de produção do Interferon e da Eritropoetina recombinants, Bio-Manguinhos dá passos firmes rumo ao future, permanecendo em sintonia com os avanços da biotecnologia aplicada à saúde.

A última conferência do evento, proferida pelo Secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Moisés Goldbaum, resgatou os principais marcos das políticas e iniciativas nas áreas de saúde pública e de ciência e Tecnologia, como a Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior – PITCE.

Além das demais unidades da Fiocruz, prestigiaram o Simpósio representantes de instituições públicas e privadas, nacionais: como Anvisa e Instituto Butantan; e internacionais: Organização Mundial da Saúde – OMS, Organização Pan-Americana de Saúde – OPAS, Instituto Serun da Índia, Centro de Prevenção e Controle de Doenças – CDC -EUA, Glaxosithkline, além de pesquisadores de universidades como a USP, Maryland, Alabama e Saskatchewan (Canadá).

Foram dias de debates e emoções intensas, e uma pessoa, cuja trajetória de vida se confunde com a da Fundação, e de Bio-Manguinhos em particular, recebeu homenagem especial. Na conferência de abertura, o presidente da Fiocruz, Paulo Buss, disse que “A Fiocruz estará bem representada pela apresentação sempre competente de Akira Homma, Diretor e força de Bio-Manguinhos, a quem muito devem a Fiocruz e o Brasil. Pelo talento, criatividade e dedicação, e a quem homenageio neste momento, em nome de todos da Instituição”.

Acesse a edição especial do Informativo BioNotícias sobre a comemoração dos 30 anos de Bio-Manguinhos

Confira os melhores momentos

Realização